Você tem Colesterol Alto?

Tempo de leitura: 17 minutos

VOCÊ TEM COLESTEROL ALTO?

Então leia o Artigo Abaixo!

OBSERVAÇÃO:

No final deste artigo vou indicar uma solução natural para ajudar você!

Leia até o final!

Um Forte Abraço!

Professor Fernando Braga

 

O MITO DO COLESTEROL

Por Dr. Lundell Dwight, MD

“Nós os médicos com todos os nossos treinamentos, conhecimento e autoridade, muitas vezes adquirimos um ego muito grande, que tende a tornar difícil admitir que estamos errados. Então, aqui está: Admito estar errado! Como um cirurgião com experiência de 25 anos, tendo realizado mais de 5.000 cirurgias de coração aberto, hoje é meu dia para reparar o erro de médico com este fato científico! Eu treinei por muitos anos com outros médicos proeminentes rotulados como “formadores de opinião.” Bombardeado com a literatura científica, sempre participando de seminários de educação; assim fui sempre alimentado por formuladores de opinião que insistiam que doença cardíaca resulta apenas do fato simples dos elevados níveis de colesterol no sangue. A terapia aceita então era a prescrição de medicamentos para baixar o colesterol e uma severa dieta restringido a ingestão de gordura. Esta segunda recomendação insisti é claro, que baixará o colesterol e irá prevenir doenças cardíacas. Qualquer recomendação diferente destas seriam consideradas uma heresia e poderia possivelmente resultar em erros médicos. Ela não está funcionando! Estas recomendações não são cientificamente ou moralmente defensáveis. A descoberta, há alguns anos que a INFLAMAÇÃO NA PAREDE DA ARTÉRIA É A VERDADEIRA CAUSA DA DOENÇA CARDÍACA é lenta levando a uma mudança de paradigma na forma como as doenças cardíacas e outras enfermidades crônicas serão tratados. As recomendações dietéticas estabelecidas há muito tempo mostram ter criado uma epidemia de obesidade e diabetes, cujas consequências apequenam qualquer praga histórica em termos de mortalidade, como guerras e terríveis crises econômicas! Apesar do fato de 25% da população tomar caros medicamentos a base de estatina (sinvastatina por exemplo) e, apesar do fato de termos reduzido o teor de gordura de nossa dieta, mais e mais americanos vão morrer este ano de graves doenças cardíacas. Estatísticas do American Heart Association, mostram que 75 milhões dos americanos atualmente sofrem de doenças cardíacas, 20 milhões têm diabetes e 57 milhões têm pré-diabetes. Esses transtornos estão a afetar pessoas cada vez mais jovens em maior número a cada ano. Simplesmente dito, SEM A PRESENÇA DE INFLAMAÇÃO NO CORPO, não há nenhuma maneira que faça com que o colesterol se acumule nas paredes dos vasos sanguíneos e cause doenças cardíacas e derrames. Sem a inflamação, o colesterol se movimenta livremente por todo o corpo como a natureza determina. É A INFLAMAÇÃO QUE FAZ O COLESTEROL FICAR PRESO! A inflamação não é complicada – é simplesmente a defesa natural do corpo a um invasor estranho, tais como toxinas, bactéria ou vírus. O ciclo de inflamação é perfeito na forma como ela protege o corpo contra esses invasores virais e bacterianos. No entanto, se cronicamente expor o corpo à lesão por toxinas ou alimentos no corpo humano, para os quais não foi projetado para processar, uma condição chamada inflamação crônica ocorre. A inflamação crônica é tão prejudicial quanto a inflamação aguda é benéfica (pois esta última avisa o organismo que algo vai mal; já a primeira corre silenciosamente dentro do corpo). Que pessoa ponderada voluntariamente exporia repetidamente a alimentos ou outras substâncias conhecidas por causarem danos ao corpo? Bem, talvez os fumantes, mas pelo menos eles fizeram essa escolha conscientemente. O resto de nós simplesmente seguia a dieta recomendada correntemente, baixa em gordura e rica em gorduras poliinsaturadas e carboidratos, não sabendo que estavam causando prejuízo repetido para os nossos vasos sanguíneos. Esta lesão repetida cria uma inflamação crônica que leva à doença cardíaca, diabetes, ataque cardíaco e obesidade. Deixe-me repetir isso. A lesão e inflamação crônica em nossos vasos sangüíneos é causada pela dieta de baixo teor de gordura recomendada por anos pela medicina convencional. Quais são os maiores culpados da inflamação crônica? Simplesmente, são a sobrecarga de simples carboidratos altamente processados ​​(açúcar, farinha e todos os produtos fabricados a partir deles) e o excesso de consumo de óleos ômega-6 (vegetais como soja, milho e girassol), que são encontrados em muitos alimentos processados. Imagine esfregar uma escova dura repetidamente sobre a pele macia até que ela fique muito vermelho e quase sangrando. Faça isto várias vezes ao dia, todos os dias por cinco anos. Se você pudesse tolerar esta dolorosa escovação, você teria um sangramento, inchaço e infecção da área, que se tornaria pior a cada lesão repetida. Esta é uma boa maneira de visualizar o processo inflama tório que pode estar acontecendo em seu corpo agora. Independentemente de onde ocorre o processo inflamatório, externamente ou internamente, a situação é a mesma. Eu olhei dentro de milhares e milhares de artérias. Na artéria doente parece que alguém pegou uma escova e esfregou repetidamente contra a parede desta. Várias vezes por dia, todos os dias, os alimentos que comemos criam pequenas lesões compondo em mais lesões, fazendo com que o corpo responda de forma contínua e adequada com a inflamação. Enquanto saboreamos um tentador pão doce, o nosso corpo responde de forma alarmante como se um invasor estrangeiro chegasse declarando guerra. Alimentos carregados de açúcares e carboidratos simples, ou processados ​​com óleos omega-6 para durar mais nas prateleiras foram a base da dieta americana durante seis décadas. Estes alimentos foram lentamente envenenando a todos. Como é que um simples bolinho doce cria uma cascata de inflamação fazendo o corpo adoecer? Imagine derramar melado no seu teclado, ai você tem uma visão do que ocorre dentro da célula. Quando consumimos carboidratos simples como o açúcar, o açúcar no sangue sobe rapidamente. Em resposta, o pâncreas segrega insulina, cuja principal finalidade é fazer com que o açúcar chegue em cada célula, onde é armazenado para energia. Se a célula estiver cheia e não precisar de glicose, o excesso é rejeitado para evitar que prejudique o trabalho. Quando suas células cheias rejeitarem a glicose extra, o açúcar no sangue sobe produzindo mais insulina e a glicose se converte em gordura armazenada. O que tudo isso tem a ver com a inflamação? O açúcar no sangue é controlado em uma faixa muito estreita. Moléculas de açúcar extra grudam-se a uma variedade de proteínas, que por sua vez lesam as paredes dos vasos sanguíneos. Estas repetidas lesões às paredes dos vasos sanguíneos desencadeiam a inflamação. Ao cravar seu nível de açúcar no sangue várias vezes por dia, todo dia, é exatamente como se esfregasse uma lixa no interior dos delicados vasos sanguíneos. Mesmo que você não seja capaz de ver, tenha certeza que está acontecendo. Eu vi em mais de 5.000 pacientes que operei nos meus 25 anos que compartilhavam um denominador comum – inflamação em suas artérias. Voltemos ao pão doce. Esse gostoso com aparência inocente não só contém açúcares como também é cozido em um dos muitos óleos omega-6 como o de soja. Batatas fritas e peixe frito são embebidos em óleo de soja, alimentos processados ​​são fabricados com óleos omega-6 para alongar a vida útil. Enquanto ômega-6 é essencial – e faz parte da membrana de cada célula controlando o que entra e sai da célula – deve estar em equilíbrio correto com o OMEGA-3. Com o desequilíbrio provocado pelo consumo excessivo de ômega-6, a membrana celular passa a produzir substâncias químicas chamadas citocinas, que causam inflamação.  Atualmente a dieta costumeira do americano tem produzido um extremo desequilíbrio dessas duas gorduras(ômega-3 e ômega-6). A relação de faixas de desequilíbrio varia de 15:1 para tão alto quanto 30:1 em favor do ômega-6. Isso é uma tremenda quantidade de citocinas que causam inflamação. Nos alimentos atuais uma proporção de 3:1 seria ideal e saudável. Para piorar a situação, o excesso de peso que você carrega por comer esses alimentos, cria sobrecarga de gordura nas células que derramam grandes quantidades de substâncias químicas pró-inflamatórias que se somam aos ferimentos causados por ter açúcar elevado no sangue. O processo que começou com um bolo doce se transforma em um ciclo vicioso que ao longo do tempo cria a doença cardíaca, pressão arterial alta, diabetes e, finalmente, a doença de Alzheimer, visto que o processo inflamatório continua inabalável.  Não há como escapar do fato de que quanto mais alimentos processados e preparados consumirmos, quanto mais caminharemos para a inflamação pouco a pouco a cada dia. O corpo humano não consegue processar, nem foi concebido para consumir os alimentos embalados com açúcares e embebido em óleos omega-6. Há apenas uma resposta para acalmar a inflamação, é voltar aos alimentos mais perto de seu estado natural. Para construir músculos, comer mais proteínas. Escolha carboidratos muito complexos, como frutas e vegetais coloridos. Reduzir ou eliminar gorduras omega-6 causadores de inflamações como óleo de milho e de soja e os alimentos processados ​​que são feitas a partir deles. Uma colher de sopa de óleo de milho contém 7.280 mg de ômega-6, de soja contém 6.940 mg. Em vez disso, use azeite ou manteiga de animal alimentado com capim. As gorduras animais contêm menos de 20% de ômega-6 e são muito menos propensas a causar inflamação do que os óleos poliinsaturados rotulados como supostamente saudáveis. Esqueça a “ciência” que tem sido martelada em sua cabeça durante décadas. A ciência que a gordura saturada por si só causa doença cardíaca é inexistente. A ciência que a gordura saturada aumenta o colesterol no sangue também é muito fraca. Como sabemos agora que o colesterol não é a causa de doença cardíaca, a preocupação com a gordura saturada é ainda mais absurda hoje.A teoria do colesterol levou à nenhuma gordura, recomendações de baixo teor de gordura que criaram os alimentos que agora estão causando uma epidemia de inflamação. A medicina alopática cometeu um erro terrível quando aconselhou as pessoas a evitar a gordura saturada em favor de alimentos ricos em gorduras omega-6. Temos agora uma epidemia de inflamação arterial levando a doenças cardíacas e a outros assassinos silenciosos. O que você pode fazer é escolher alimentos integrais que sua avó servia (frutas, verduras, cereais, manteiga) e não aqueles que sua mãe encontrou nos corredores de supermercado cheios de alimentos industrializados. Eliminando alimentos inflamatórios e aderindo a nutrientes essenciais de produtos alimentares frescos não-processados, você irá reverter anos de danos nas artérias e em todo o seu corpo causados pelo consumo da dieta típica americana. O ideal é voltarmos aos alimentos naturais e muito trabalho físico (exercicios)!”

Nota: Dr. Dwight Lundell é ex-Chefe de Gabinete e Chefe de Cirurgia no Hospital do Coração Banner, Mesa, Arizona. Sua prática privada, Cardíaca Care Center foi em Mesa, Arizona. Recentemente, Dr. Lundell deixou a cirurgia para se concentrar no tratamento nutricional de doenças cardíacas. Ele é o fundador da Fundação Saúde dos Humanos, que promove a saúde humana com foco na ajuda às grandes corporações em promover o bem estar. Ele é o autor de “A cura para a doença cardíaca e A Grande Mentira Colesterol.”

Caros Amigos e Leitores do Meu Blog:

Nos últimos anos tenho acrescentado em minha alimentação e na dieta dos meus pacientes, teores significativos de Omega-3 de fonte animal e também vegetal. E consegui confirmar muito rápido, tudo isso que o Dr. Lundell afirma em seu texto acima! Claro que alcançar a proporção ideal proposta por ele em seu texto (proporção de 3:1, ou seja, para cada parte de omega-6 utilizada, devemos utilizar 1 parte de omega-3 junto também), não é uma tarefa das mais fáceis. Mas percebi em meu trabalho diário que o simples fato de apresentar novamente ao organismo o omega-3 (tão esquecido na dieta moderna) é capaz de produzir maravilhas na pele, na redução do colesterol e sem dúvida nenhuma na prevenção de graves doenças cardíacas! E como fontes seguras do omega-3, escolhi o Óleo de Peixe e o Óleo de Linhaça para fazer uso com regularidade para mim e para meus pacientes. Portanto, baseado em tudo que você leu neste post do Dr. Lundell e por esta modesta consideração que faço aqui, aconselho você a seguir as doses que proponho abaixo para estas 2 substâncias muito especiais:

1. ÓLEO DE PEIXE …………………. 1.000mg (comprar 1 pote).

Usar 1 cápsula oleaginosa (de 1.000mg) após o café da manhã (o ano inteiro).

O que vi do Óleo de Peixe na minha prática como Terapeuta Natural:

Fazendo uso e indicando o Óleo de Peixe para meus pacientes percebi seus inegáveis e benéficos efeitos sobre todo o organismo. E seu efeito anti-inflamatório sobre os tecidos internos é admirável, pois percebi que pacientes em tratamento comigo de processo dolorosos diversos, experimentam um efeito analgésico muito acentuado quando acrescento o Óleo de Peixe em seus tratamentos. Tanto que hoje este Óleo faz parte de qualquer tratamento para dor em meu consultório. E um outro efeito ficou muito claro para mim até aqui: o efeito sobre a densidade do sangue, tornando-o mais fluido e menos viscoso. Percebi isso em pacientes com histórico de trombose, erisipelas e “sangue grosso” detectado por exames laboratoriais. Todos estes pacientes melhoraram e reduziram a viscosidade excessiva no sangue com o uso do Óleo de Peixe. E isso por si só já avaliza seu uso. Por isso acredito tanto nos argumentos do Dr. Lundell. E escrevo tudo isso na esperança de contagiar o maior número possível de pessoas, pois confirmo todos os dias a beleza e eficácia do omega-3 na saúde das pessoas!

Contra-Indicações do Óleo de Peixe:

Como todos os óleos, o Óleo de Peixe não é de fácil digestão. E diariamente observo pessoas apresentando gases, diarréia e/ou arrotos com odor de peixe após sua ingestão. Estes são sinais clássicos de que a digestão e absorção desta substância está difícil e que em breve você tenderá a abrir mão de usar, tamanho o desconforto digestivo causado com seu uso. Com isso conclui que as doses indicadas nos rótulos da maioria das marcas de Óleo de Peixe disponíveis no mercado estão equivocadas e acabam por ser contra-indicadas devido ao excesso. A grande maioria das pessoas não irão tolerar as doses recomendadas lá para ingestão diária. Por isso a dose que indico acima parece pequena (se comparada a dose recomendada nos rótulos). Mas é uma dose segura que testo e ajusto ao longo de pelo menos 3 anos de uso e indicação intensa em minha prática clínica. Portanto, aconselho você a usar as doses que recomendo acima! Em pessoas que possuem o colesterol total levemente elevado (até 200mg/dl), utilizo o Óleo de Peixe com frequência e percebo que na maioria dos pacientes conseguimos reduzir este colesterol total, além de melhorar o estado geral do paciente. Mas em pacientes com colesterol elevado, prefiro não indicar este óleo nos primeiros 30 dias de tratamento, dando preferência ao um tratamento de desintoxicação e fortalecimento do Fígado e Vesícula Biliar com ervas amargas e farinha de maracujá. Caso queira saber mais sobre este tratamento, clique aqui!

2. ÓLEO DE LINHAÇA ………………….. 1.000mg (1 pote).

Usar 1 cápsula oleaginosa (de 1.000mg) após o almoço ou à noite (o ano inteiro).

O que vi do Óleo de Linhaça na minha prática como Terapeuta Natural:

Em poucos anos indicando o Óleo de Linhaça, simplesmente me apaixonei por esta substância. E me arrependo até hoje de não ter começado o uso do Óleo de Linhaça há mais tempo, desde criança por exemplo! Mas o organismo humano é sempre muito grato. Você pode maltratá-lo por uma década; e basta começar a agradá-lo por um mês que ele se transforma para melhor. E é isso que tenho visto comigo e com meus pacientes. De forma que este Óleo na minha opinião é de utilidade pública para os dias de hoje. Percebi seu maravilhoso efeito na pele, em doenças da pele, na hidratação profunda da pele, em rachaduras nos pés, no aumento da qualidade dos cabelos, unhas. E sem dúvida nenhuma, é o Óleo que junto com o Óleo de Peixe pode mudar a realidade cardíaca das pessoas, prevenindo e tratando as graves doenças cardíacas!

Contra-Indicações do Óleo de Linhaça:

Diferente do Óleo de Peixe, este óleo é muito bem tolerado pela grande maioria das pessoas, e não tenho percebido grandes intolerâncias digestivas com o seu uso. Apenas chamo a atenção para que Óleos podem produzir embaraços digestivos. E se isto ocorrer acrescente uma erva amarga no seu dia-a-dia ou aumente o chá de Erva Doce diariamente que estes sinais irão desaparecer. Para este óleo vale também as recomendações a respeito do colesterol alto (hipercolesterolemia). De forma que aconselho você a verificar seus níveis de colesterol antes de usar também o Óleo de Linhaça. A única diferença é que indico o Óleo de Linhaça mesmo em pacientes com colesterol elevado. Mas não abro mão tratar o Fígado ao mesmo tempo (através de uma limpeza e fortalecimento deste órgão) com ervas amargas e farinha de maracujá (leia sobre a limpeza do Fígado aqui).

 SE VOCÊ GOSTOU DESTE POST DEIXE UM CURTIR NOS BOTÕES ACIMA E COMPARTILHA PARA FAZER ESTAS INFORMAÇÕES CHEGAREM A QUEM PRECISA!

Um Grande abraço!

4 Comentários


  1. manteiga,omega 6,glúten, refinados em geral,ovos, leite, carnes são venenos colestericos, ácidos-sujos-virosos, cancerigenos …a vaca,elefante,cavalo, só come capim e vende saúde e força….. se comer manteiga, ovos ou carne adoece,enlouquece…assim como nós …. veja no google: alimentos vivos vegetais, -alcalinize organismo -perigo do leite http://veganos.org.br

    Responder

    1. Cara Ivone! Concordo em parte! Os alimentos que você citou no seu comentário são sim venenos alimentícios. Mas a vaca, elefante e cavalo possuem intestinos adaptados a digerir celulose (oriunda dos alimentos vegetais) e convertê-la em Energia. Procedimento que o organismo humano possui gigantesca dificuldade em realizar. O Veganismo e o Vegetarianismo são linhas muito radicais. Eu defendo o “Caminho do Meio”. Porque acredito que todo radicalismo conduz ao fanatismo e por fim a violência. As vezes os praticantes destes modelos de dieta, se privam de matar e comer a carne de animais, evitando a violência contra estes seres. Mas acabam cometendo outra forma de violência ao matarem suas células (que também são vidas) ao privá-las de substâncias essenciais, muitas delas oriundas do reino animal. Precisamos de bom senso em tudo na vida!

      Responder

  2. Boa noite Fernando, fazendo a limpesa da visicula e figado, automaticamente não estaria abaixando o colesterol? Grata

    Responder

    1. Olá Cristiane! Em teoria sim! Mas é preciso ficar atento e checar os exames. Caso não reduza de imediato, com o tempo reduzirá sim! Vale a pena fazê-la! Abração!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *